Projeto: Passeando pelo Cine Teatro Dórea

Projeto: Passeando pelo Cine Teatro Dórea

Memorial - livro presença

INTRODUÇÃO :

Nosso município possui uma história riquíssima, partindo do contexto de sua própria origem, com Manuel Caculé, e sua peculiar narrativa que envolve patriotismo, desejo de liberdade, encantamento ; fatos que firmaram nossas terras e formaram nosso povo.

Partindo dessa origem, Caculé, depois de se tornar vila, segue seu curso apostando no desenvolvimento destas mesmas terras.

Com o passar dos anos, ergue-se um município promissor. Obras importantes são edificadas, entre essas, para uma sociedade ansiosa por cultura, nasce o Cine Teatro Engenheiro Dórea.

Inaugurado em 1940 (sic) para exibição de filmes, peças de teatro, bailes, programas de calouros e eventos sociais, passou a ser o ícone cultural de uma geração.

Mesmo em evidência durante vários anos, o Cine Teatro  encontrou vários problemas.   Teve sua estrutura deteriorada e, com o desenvolvimento urbano e criação de outros espaços para festas, era cada vez menos requisitado pelo público.   Acabou por fechar suas portas na década de 80.

Felizmente, toda a sociedade caculeense voltou a se encantar com o espaço cultural do Cine Teatro Engenheiro Dórea que em 2012 foi totalmente reformado, tendo sua cultura revitalizada.

Desde sua criação até o momento, mesmo no interim de sua quase extinção, a história do Cine Teatro se manteve viva na memória daqueles que o ocuparam e também nos relatos da história contada.

A história é viva enquanto houverem aqueles que a faça viver.

O Cine Teatro Engenheiro Dórea é um patrimônio histórico vivo, com um acervo encantador, onde todos podem viajar no tempo, discutir fatos relevantes e espelhar-se culturalmente.

JUSTIFICATIVA :

O projeto “Passeando pelo Cine Teatro Dórea” pretende levar ao público a história do cine teatro de Caculé desde sua criação, por meio de exposições de objetos, imagens, amostras fotográficas, vídeos, CDs e documentos preservados, associando aspectos culturais épicos a nossa sociedade atual.

Espera-se que, durante o contato com o acervo histórico em exposição, o visitante conheça nossa cultura e desperte maior interesse para a promoção de outros resgates históricos.

DESENVOLVIMENTO DO PROJETO :

O projeto Passeando pelo Cine Teatro Dórea será organizado em forma de exposição de acervo, no segundo piso do seu prédio.

A primeira e exposição está datada para o dia 14 de agosto de 2017 sendo,  este evento,  parte das comemorações do aniversário da nossa cidade.

O acervo do projeto contará com a exposição dos seguintes itens :

  • Objetos :  máquinas, projetores, rolos de filmes, altofalantes, fitas de projeção, fichas de ingresso, carteiras de sócio, adornos e objetos de uso pessoal.
  • Audiovisual  :  slides, imagens, áudios e vídeos de diversas épocas, inclusive do processo de reinauguração e documentos preservados.

AGENDAMENTO :

Para uma melhor organização e acolhida aos visitantes, torna-se necessário que haja um agendamento com definição de data e horário.

 


Texto transcrito do original do Projeto apresentado à Secretaria de Educação, Cultura e Esportes de Caculé, em 10.7.2017.

O projeto foi idealizado e organizado por Carlos Alberto de Souza, Carlos White, entre os meses de abril e julho de 2017; e apresentado em junho de 2017 para aprovação pela referida Secretaria.

Contribuíram com o projeto:
Kleber Carinhanha
Solange Graia
Thomas Sachsse

Agradecimentos especiais para:
Prefeito Beto Maradona
Secretário Marcílio
Secretária de Educação, Cultura e Esporte: Adaílde Telles
Márcia Barreto
José Carlos Teixeira (Zé de Dila)
Sidnéia Graia (Néia Graia)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Moção de Pesar à Adelbardo Silveira (professor Deba)

Moção de Pesar à Adelbardo Silveira (professor Deba)

Luciano Ribeiro apresenta Moção de Pesar à Adelbardo Silveira (professor Deba) na Assembléia Legislativa da Bahia – ALBA.

captura-de-tela-inteira-07072015-191210-420x280

O deputado Luciano Ribeiro apresentou em 7.7.2015, na Assembleia Legislativa, Moção de Pesar pelo falecimento do Mestre Adelbardo Silveira, ocorrido ontem, aos 83 anos. Conhecido carinhosamente na região do Alto Sertão da Bahia por Professor Deba, é filho de Florindo Serapião da Silveira e Almerinda Borges Silveira, nascido no município de Rio do Antônio, em 1º de julho de 1932. Deba é figura ilustre e grande contribuidor no desenvolvimento da educação e do desenvolvimento sociocultural naquela região. Além de dedicar a sua vida ao magistério, foi advogado, político – sendo prefeito e vice-prefeito de Rio do Antônio -, escritor, comunicólogo. Grande defensor, incentivador e entusiasta da cultura local, com ações também em defesa do meio ambiente, sendo membro ativista do Modera – Movimento pela Despoluição e Conservação do Rio do Antônio.

Professor Deba passou a infância em Rio do Antônio, onde fez o curso primário. Em 1952, diplomou-se em professor primário pela antiga e reconhecida Escola Normal de Caetité. Exerceu o magistério em sua terra natal até 1956, transferindo-se para Caculé onde, por mais de 20 anos, lecionou várias matérias e foi diretor no Colégio Estadual Norberto Fernandes, que foi referência na educação e cultura em toda região, sendo o professor Deba um importante contribuidor pelo destaque do colégio.

Em 1979 diplomou-se em Direito pela Faculdade de Direito de Teófilo Otoni da Fundação Educacional Nordeste Mineiro, passando a exercer a profissão de advogado a partir de 1985, após ter deixado a Prefeitura Municipal de Rio do Antônio, onde exerceu por duas vezes o cargo de prefeito e por duas vezes o cargo de vice-prefeito.

Sua contribuição pela educação e cultura sempre foi ativa, a exemplo disso foi fundador do Setor Local da CNEC, que manteve o colégio Florindo Silveira, onde, por muitos anos, lecionou sem qualquer remuneração e, como membro desse Conselho, foi presidente do Setor Local e Coordenador de Educação desta região, abrangendo 12 colégios, alguns dos quais fundados por ele. O professor Deba ao falar de seus alunos, que sempre se lembrava com muito orgulho, ressaltava que a grande compensação do exercício do magistério era o de ver os seus alunos se destacando na vida profissional, como os vários e renomados médicos, advogados, dentistas, professores, artistas etc.

Aficionado das letras, foi fundador e redator do Jornal “O Arrebol”, editado no próprio município de Rio do Antônio por mais de 5 anos. Deba exerceu o rádio amador, fundando a “Rio FM” e como amante da telecomunicação, foi telegrafista. Integrado socialmente, foi membro da Maçonaria Loja Atalaia Sertaneja Oriente Nº 50 de Caculé, onde foi venerável mestre e membro também da Lions Clube de Caculé.

Escritor de inúmeros textos e poesias, se apaixonou pelo Cordel, prática que exercia por puro prazer e diletantismo. O seu último livro – “Minhas Memórias – Antes que seja tarde” – foi lançado em 2013 e é autobiográfico, trazendo além de memórias e culturas da região do Alto Sertão, as histórias deste ilustre cidadão, sempre engajado em atividades artísticas, educacionais e de inclusão social, nos presenteando com ricas e importantes contribuições em diversas áreas. E, neste momento de grande perda, nos solidarizamos com os familiares e amigos, ao tempo em que desejamos que Deus possa confortar os nosssos corações, nos trazendo força e esperança.

 


Fonte:
Ascom Dep. Luciano Ribeiro (DEM)

Colégio Estadual Norberto Fernandes

Colégio Estadual Norberto Fernandes

O colégio foi fundado em 1954, pelo Decreto nº. 15.913 de 2 de setembro de 1954, pelo governador Luiz Régis Pacheco Pereira, e foi inicialmente denominado “Ginásio Norberto Fernandes”.
Em 14 de junho de 1955, pela portaria do MEC nr. 667, foi autorizado o funcionamento do Ginásio.   [2]

O primeiro diretor, Professor Antônio de Meireles, era catedrático da Escola Normal de Caetité.   [2]

Nos dias 5 e 7 de maio de 1955 foram realizados os Exames de Admissão.
Dos 90 candidatos inscritos, 3 não compareceram e 72 foram aprovados.
No 1º ano foram matriculados 76 alunos (4 alunos por transferência).   [2]
image

” No dia 6 de outubro de 1954, no salão nobre do Aeroclube da cidade de Caculé, estado da Bahia, hoje, Cine Teatro Engenheiro Dórea, sob a presidência do Excelentíssimo Sr. Miguel Fernandes, prefeito municipal, Excelentíssimo Sr. Antônio Fernandes, deputado estadual, foi realizada a Sessão Solenemente, para comunicar a todo povo Caculeense a autorização de funcionamento e dar posse ao primeiro diretor do Ginásio Oficial Norberto Fernandes de Caculé (1. ciclo).

Autorizado pelo então governador da Bahia, Luiz Registro Pacheco Pereira, em 2 de setembro de 1954, pelo Decreto Nr. 15.913, e publicado Diário Oficial do dia 9 de setembro de 1954, passando a funcionar provisoriamente na Escola denominada Escola Rural, hoje Escola Dona Júlia Montenegro Magalhães.
Foi empossado o primeiro diretor, professor catedrático Antônio de Meireles, da Escola Normal de Caetité.

O primeiro ato do diretor ora empossado, foi dar posse ao corpo discente da Instituição :
Sr. Mário Alves Coelho, na função Auxiliar de Administração
Dr. Vespasiano José da Silva Filho, na função de Instrutor de Matemática
Dr. Deoclides Cardoso de Sousa, na função de Instrutor de História Geral
Padre Daniel Batista Neves, na função Instrutor de Português e Latim
Professora Helena Fróis de Castilho , na função Instrutora de Geografia
Eny Meirelles de Castro, na função Instrutora de Português
Zélia Fernandes Guimarães, farmacêutica, na função Instrutora de Francês
Walter Pinho, eletro-mecânico , na função Instrutor de Desenho
Professora Maria do Carmo Fernandes Ivo, na função Instrutora e Trabalhos Manuais
José Fernandes, na função Instrutor de Educação Física
Professora Maria do Carmo de Castro Fagundes, na função Instrutora em História Geral
Professor Edmundo Silveira Souza, na função Instrutor Canto Orfeônico
Professora Livia Maria Machado Viana Cunha, na função Instrutora de Inglês
Arlinda Maciel Santos, na função Atendente
Maria Laudenbach Alcântara, na função Atendente
Iani Moreira dos Santos Machado, na função Servente
José Damascena, na função Vigia
Iani Cardoso de Lima Silva, na função Porteira   ”

 

 

 


Fontes:

[1]   

[2]   livro “Caculé de Miguelzinho”,  . pág.

[3]   livro “Minhas Memórias – Antes que seja Tarde”, do Prof. Deba –  pág.

[4]   texto de autoria desconhecida (sem verificação da autenticidade) – sujeito a erros e ajustes.

[5]   site  da Secretaria de Educação do Governo do Estado da Bahia  – http://escolas.educacao.ba.gov.br/node/12670 – acessado em 28.3.2016

[6]   site Escolas Brasil  – http://escolasbr.com/ee-colegio-estadual-norberto-fernandes – acesso em 29.3.2016

[7]   site Informe Cidade  – http://www.informecidade.com/2014/08/cacule-familiares-e-amigos-prestam-ultima-homenagem-ao-professor-jose-joaquim/ – acesso em 28.3.2016

[8]   site Taberna da História do Sertão Baiano: Primeira turma do Norberto Fernandes formou-se em 1958  – http://tabernadahistoriavc.com.br/primeira-turma-do-norberto-fernandes-formou-se-em-1958/  –  acesso em 28.3.2016

[9]