Série “Sertão sobre Trilhos”

Série “Sertão sobre Trilhos”

O canal de TV  InterTV, Grande Minas, filiada da TV Globo em Minas Gerais,  apresentou uma série sobre a ferrovia no Norte de Minas Gerais.
Esses trilhos foram ligados à linha férrea baiana, que passa por Caculé, em 1947, na cidade de Montes Azul.
Essa matéria, apesar de falar sobre a estrada férrea e o desenvolvimento da região Norte de Minas propiciada pela ferrovia,  também ajuda a entender a importância histórica da ferrovia no Sudoeste Baiano e o desenvolvimento das cidades do sertão da Bahia.


Inter TV produz série sobre história do trem de ferro no Norte de Minas

Reportagens vão mostrar o desenvolvimento com a chegada das linhas férreas   [1]

17/10/2016 17h41 – Atualizado em 19/10/2016 12h08

trem

” Nos rastros do trem, muita história para contar. Há 90 anos, as linhas de ferro anunciavam ao sertão norte-mineiro um tempo de desenvolvimento e muitas transformações. Há quem diga que o progresso tenha chegado ao Norte de Minas pelos trilhos. Vamos conhecer toda esta história juntos. O repórter Geraldo Humberto, junto com o cinegrafista Ricardo Caroba, embarcou nesta viagem e ainda tem lugar no trem. Passagens a postos? O ponto de partida é o MG Inter TV 1ª Edição, nesta terça-feira (18).

A equipe da Inter TV Grande Minas estaciona, no primeiro episódio da série, diretamente no século XX. São muitos detalhes de um tempo em que os protagonistas são da Família Real. A Ferrovia Dom Pedro II era um projeto traçado desde o Império, para ligar o Brasil de norte a sul. Na região do Norte de Minas, as linhas férreas estão ligadas aos tropeiros e boiadeiros, que por  volta de 1831 começam a usar currais próximos ao Rio das Velhas, atraindo novos moradores e criando assim a comunidade de Curralinho.

O ponto estratégico para o trem surgiria naquele ponto e, mais tarde, em Corinto. Dá para acreditar que o ferroviário aposentado, Álvaro Maciel, participou da história e contou tudo para o Geraldo Humberto? É história viva! Nosso repórter ainda percorreu os trilhos de todas as cidades da região.

No segundo capítulo, nossa locomotiva avança. A Ferrovia Central do Brasil avançava para o extremo Norte do Estado para ir de encontro ao povo nordestino. Era a integração entre Minas e Bahia. Participaram também pequenas comunidades que depois se tornaram municípios, como Francisco Sá, Janaúba, Capitão Enéas e Monte Azul.

Na terceira reportagem da série, você vai ver como funciona atualmente um trem de passageiros. A nossa reportagem fez uma viagem entre Ipatinga e Governador Valadares para mostrar a tecnologia, estrutura e recursos.

Apesar de toda história que os trens carregam, o quarto episódio da série fala sobre saudade. Tudo isso porque as locomotivas foram perdendo força e, em 1996, pararam de vez de transportar pessoas. A partir daquele ano, apenas grandes cargas passam pelos trilhos do Norte de Minas. O saudosismo de quem participou da história e via o trem passar com muita alegria, se tornou esperança e vontade de ver o trem voltar.

Deu para sentir que o MG Inter TV 1ª Edição vai trazer muitas surpresas, não é mesmo? Não perca este resgate histórico e relembre tudo sobre a era do trem de ferro no Norte de Minas. ”  [1]

 

 


Capa do Programa Sertao Sobre Trilhos.PNG

 

Episódio 1:
“Veja como o trem de ferro trouxe progresso para o Norte de Minas”
http://g1.globo.com/mg/grande-minas//videos/v/sertao-sobre-trilhos-veja-como-o-trem-de-ferro-trouxe-progresso-para-o-norte-de-minas/5385813/

Episódio 2:
“Chegada das ferrovias traz prosperidade para o Norte de Minas”
http://g1.globo.com/mg/grande-minas//videos/v/sertao-sobre-trilhos-chegada-das-ferrovias-traz-prosperidade-para-o-norte-de-minas/5388844/

Episódio 3:
“Viagem histórica continua e vai até o Leste de Minas”
http://g1.globo.com/mg/grande-minas//videos/v/sertao-sobre-trilhos-viagem-historica-continua-e-vai-ate-o-leste-de-minas/5391349/

Episódio 4:
“Último episódio do ‘Sertão sobre Trilhos’ fala sobre saudades do trem de passageiros”
http://g1.globo.com/mg/grande-minas//videos/v/ultimo-episodio-do-sertao-sobre-trilhos-fala-sobre-saudades-do-trem-de-passageiros/5394087/

 


Fontes:
 .
 .
[2]  série “Sertão Sobre Trilhos” da InterTV  –  vários links do site oficial
 .
[3]  matéria no site da InterTV, Grande Minas  –  http://g1.globo.com/mg/grande-minas/noticia/2016/10/chegada-da-ferrovia-central-do-brasil-ao-norte-de-minas-completa-90-anos.html  –  acessado em 22.10.2016

.

Entrevista com Dona Rosinha

Os alunos da UNINTER – Centro Universitário, Polo Caculé,  realizaram um trabalho acadêmico sobre Bens Culturais Imateriais;  apresentado no Cine-Teatro Eng. Dórea.
Rosa Maria dos Santos Alves  ou, carinhosamente, Dona Rosinha é artista circense e fundadora do Grupo de Quadrilha Buscapé.

Neste vídeo, resumo de 10min da entrevista, Dona Rosinha conta sua história, como chegou à Caculé, e sua relação com a cultura da cidade.


Fonte:
[1]  Video no Youtube dos alunos da Uninter, Polo Caculé  –  https://youtu.be/oOJ4utpPbn4  –  acessado em 1.10.2016

 

 

 

A Viagem Histórica da Caravana Ver de Trem para a ECO 92

O Projeto Ver de Trem / Movimento Trem de Ferro e o Grupo Ecológico Germen uniram-se para a concretização da histórica viagem de trem de Salvador ao Rio de Janeiro para a ECO 92 (Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento) num trabalho de revitalização dos trens de passageiros nas ferrovias brasileiras.

Da cidade de Salvador já não partem mais trens para outras cidades. A malha ferroviária brasileira, apesar de ligar o país de norte ao sul, está hoje praticamente disponível apenas para transporte de cargas.

Em Outubro de 1991 lançamos uma campanha que visava uma viagem de trem de Salvador ao Rio de Janeiro, com objetivo de conduzir parte da delegação baiana para a Rio 92, por entender ser o trem o meio de transporte mais econômico, ecológico e seguro.

Apesar do descrédito inicial, a ideia tomou corpo e hoje é fato consumado: um grupo de 95 pessoas,entre ambientalistas, ferroviários, especialistas, imprensa e artistas chegaram ao Rio de Janeiro numa histórica viagem, com características inéditas e de amplo efeito social. Nas devidas proporções,muitas ONGs brasileiras tem superado as expectativas, mas nem por isso seus temas estão sendo evidenciados pelos meios de comunicação do país. Um agravamento ainda maior ocorre quando se trata de questões nascidas nas regiões menos favorecidas desse Brasil continental, onde o norte e o nordeste apesar de expoentes na problemática ambiental brasileira, permanecem à margem das decisões sobre os seus próprios destinos.

Gostaríamos de lembrar que a Região Nordeste também promoveu uma chegada especial a Rio 92, conforme registrado oficialmente no FORUM GLOBAL, que infelizmente não se fez presente a nossa chegada no Rio de Janeiro, o que certamente seria importante para fortalecer o conteúdo embutido no projeto que trouxe a delegação num trem da Rede Ferroviária Federal (extinta RFFSA) desde a nossa cidade de Salvador, de onde saímos no dia 23 de Maio de 1992, chegando ao Rio de Janeiro no dia 29.

Cidades baianas como Santo Amaro, Cachoeira, Iaçu, Cruz das Almas, Brumado, Caculé, Rio do Antônio e Urandi, entre outras, pararam para ver o trem passar levando suas mensagens e colhendo informações e manifestações.
Foram momentos marcantes, onde as populações puderam manifestar suas expectativas com relação à Rio 92 e pedir o retorno dos trens de passageiros,totalmente inseridos na cultura,história e economia dessas cidades.  Dezenas de outras paradas, previstas ou não, aconteceram forçosamente, diante de grandes manifestações populares, caracterizando uma grande onda multiplicadora da nossa ação.

Documentos oficiais foram deixados em nossas mãos pelas prefeituras e entidades civis das cidades, além de faixas, cartazes, produções estudantis e da comunidade em geral. Bandas de músicas,palcos e palanques foram preparados para recepcionar o VER DE TREM nesta viagem histórica e de resgate de tantos anseios populares. Entre os encontros mais marcantes citamos o ocorrido na cidade de Brumado, onde se confirmou a presença de cerca de 30 mil pessoas nos aguardando em praça publica, o que caracterizou,segundo a imprensa local,a maior manifestação popular da história de Brumado, que na epóca tinha 51 mil habitantes.

O Projeto passou também por muitas cidades mineiras onde também ficou marcado por grande receptividade popular. Com atraso de 2 horas e meia chegamos zero hora e 40 minutos na cidade de Corinto (única mineira onde pernoitamos), onde havia uma concentração de cerca de 5 mil pessoas na estação.

Diante dos acontecimentos nessa viagem,cresceu muito a nossa responsabilidade e hoje nos sentimos porta-vozes de milhares de pessoas das cidades ao longo da linha-férrea desde a estação da Calçada em Salvador, até a estação da Central do Brasil no Rio de Janeiro, numa grande ação de popularização da Rio 92.

Pessoas sofridas e esquecidas desse nosso interior do Brasil. Muitas sem perspectivas de vida, com seus rostos tristes e marcados pela fome e vida miserável, mas ao mesmo tempo com muita emoção demonstraram muita esperança e depositaram essa esperança nos ecologistas que passaram no VER DE TREM.   Eles, que tem pouco, não se furtaram em nos suprir de alimentos, bebidas e artesanatos locais. Tudo isso sinalizou para nós uma grande mensagem e uma lição que levaremos para o resto de nossas vidas.

Na chegada ao Rio o cantor e compositor Gilberto Gil nos honrou com sua recepção, participando brilhantemente de um show com os artistas que acompanharam o VER DE TREM e também discursou chamando a atenção sobre a importãncia da revitalização do transporte ferroviário e mostrando-se indignado com o seu sucateamento disse :
“Nossas ferrovias foram jogadas no lixo ! “.
Um outro projeto baiano -“Escola Itinerante”- também do forum de ONGs da Bahia chegou de ônibus 2 dias antes com 16 crianças e nos recepcionou na Central do Brasil, complementando as ações afetuosas ao longo de 3.000 km de ferrovias.




 

Fonte:  Blog Projeto Ver de Trem – http://projetoverdetrem.blogspot.com.br/p/eco-92-viagem-historica.html – acessado em 22.1.2016